terça-feira, 17 de dezembro de 2013

ESTUDANTE DA UFERSA RECEBE O PRÊMIO DE JOVEM CIENTISTA



O estudante de Agronomia da Universidade Federal do Semiárido (Ufersa), José Leôncio de Almeida Silva, 23 anos, recebeu ontem o prêmio Jovem Cientista em solenidade realizada no Palácio do Planalto com a presença da presidenta Dilma Rousseff. Ele foi premiado na categoria Ensino Superior pela pesquisa desenvolvida para irrigação do solo do Semiárido usando água salina do Aquífero Calcário Jandaíra, uma das maiores reservas de água dos estados do Ceará e Rio Grande do Norte.
Divulgação
Presidenta Dilma Rousseff entrega prêmio a Leôncio (D), que estava acompanhado do orientador da pesquisa, José Francismar

Na pesquisa, ele desenvolveu uma solução de água salina proveniente do manancial misturada à água usada no abastecimento urbano e disponível em menor quantidade, com o objetivo de irrigar os solos do Semiárido. O experimento foi usado na plantação de milho e sorgo – duas das culturas que mais crescem no Nordeste – adotadas por produtores locais como forragem, alimento para os animais.

“A falta de água, principalmente de boa qualidade, na região me motivou a desenvolver esse projeto. Descobrimos que, misturando água salina à água do abastecimento, obedecendo determinadas proporções, e utilizando a solução na irrigação das culturas, reduzem-se fatores como produtividade e área foliar (tamanho da folha), mas não se interfere no teor proteico, o que é um ótimo resultado, já que a forragem servirá de alimento para animais”, explica o pesquisador.

Assim, a mistura de águas é uma opção viável no cultivo e no desenvolvimento de plantas forrageiras na região Semiárida do Nordeste durante períodos de estiagem (de abril a novembro). “O que eu fiz foi descobrir o nível de salinidade que as plantas forrageiras toleram. E, além disso, que a mistura poderia ser usada não somente nos períodos de seca, mas também ao longo de todo o ano. Assim, o produtor não precisa gastar água de boa qualidade com a irrigação”, conclui ele.

O Prêmio Jovem Cientista é uma iniciativa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) com o objetivo de revelar talentos, impulsionar a pesquisa no país e investir em estudantes e jovens pesquisadores que procuram inovar na solução dos desafios da sociedade. Quatro categorias são premiadas: mestre e doutor; estudante do ensino superior; estudante do ensino médio e mérito institucional. Há ainda um prêmio de mérito científico para um pesquisador doutor que tenha se destacado na área relacionada ao tema da edição. Os orientadores das três categorias principais e as escolas dos três classificados do ensino médio recebem laptops, como forma de estimular e reconhecer a cadeia de aprendizagem. O valor dos prêmios somados é aproximadamente R$ 700 mil. Os vencedores desta edição foram anunciados em novembro.

TRIBUNA DO NORTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário